Análises Cínicas











{Setembro 28, 2007}   Antigamente era assim…

Toda a gente comenta, ou melhor, toda a gente que pensa mínimamente sobre as coisas comenta, que na Idade Média houve um grande retrocesso tecnológico em certas zonas da Europa por relação ao período do Império Romano, muito mais antigo.

Pus-me a pensar nas razões de ser assim e imaginei quão difícil deveria ser ser-se inventor no período da inquisição! Senão imaginemos só as seguintes situações na Idade Média…

1 – Num baptismo um padre pergunta à mãe da criança: “Profissão?” E ela responde “Doméstica!”, e depois faz a mesma pergunta ao pai que vai a responder “Inventor” mas que a tempo se cala e substitui por “Inválido”, ao que o padre levanta um olho e franze a testa…

2 – Um jovial bando de inquisidores passeia-se alegremente, com as suas vestes engraçadas e muito na moda à época, por uma miserável aldeia rodeada de charcos de bosta… e dá com um homenzinho raquítico e sujo que trás na mão um passe-vite que tinha acabado de inventar para facilitar a feitura de purés. Atiram-lhe: “Que é lá isso?” O homenzinho roto e de dentes podres, miserável desculpa para um ser humano, tenta esconder o passe-vite atrás das costas e diz com vozinha fina de quem se alimenta sempre mal “Nada! É… é um chapéu!” E os inquisidores dizem “Hummm… mau mau mau! Vê lá se queres ser churrasco!”

3 – Uma menina está distraída no pátio de sua casa ouvindo música medieval no seu pequenino rádio de ondas curtas, quando passa o inquisidor-mor da aldeia pela rua e espreita por cima do muro. Vendo-a encostada a uma pequena caixa de onde saem sons da mais futurista modinha medieval, atira-lhe furiosamente “Que é isto?! Bruxa! Bruxa! Feiticeira!”… A menina treme e quase a chorar diz “É só um rádiozinho que inventei…” Claro que nem é preciso contar como terminaria a história…

4 – Um grupo de amigos plebeus de uma aldeia miserável próxima de Guimarães está reunido num sábado à noite na cabana de um deles assistindo pela televisão a um jogo do campeonato da liga dos torneios a cavalo, bebendo umas taças de tinto e petiscando uns coiratos, quando batem à porta, mesmo a meio do momento em que a equipa da casa ia investir contra o adversário… O dono da casa pede a um dos presentes que estava mais próximo da porta para ir ver quem era, e este diz-lhe de lá com voz de pânico: “São os inquisidores!”, ao que o dono da casa atira com cólera clubística “Foda-se! Vêm mesmo estragar o momento melhor! Está empatado e ia a prolongamento… Caralho!”

5 – Um pastor ambientalista, farto da poluição gerada pelas lareias a arder para aquecimento, e do abate desmedido das florestas, decide um dia construir uma represa por forma a fazer com a força das águas girar helices que, ligadas a fios metálicos, iriam produzir corrente eléctrica que substítuiria eficazmente e de uma forma amiga do ambiente a energia gerada pelas fornalhas. Estava ele assobiando uma músiquinha pimba medieval nesta tarefa de unir com troncos de árvore, ligados e isolados com barro, duas colinas próximas, entre as quais passava um rio, quando lhe surge de repente, por detrás, um desses tais bandos de alegres inquisidores que lhe perguntam: “Que fazes animal?”… O homenzinho, claro, viu o filme todo passar-lhe à frente dos olhos vesgos e, aceitando o destino e deixando cair os ombros responde “Faço merda, como sempre! É o que faço!”

Pois é, a vida dos inventores na Idade Média não deveria ser nada fácil, com os bandos de alegres inquisidores (ou em inglês gay inquisitors) sempre a saltitar por ali… Talvez também por isso se tenha mergulhado nesse período de trevas e retrocesso. Deixo-vos só com uma pergunta: Na Idade Média, quanto tempo acham que aguentaria um guitarrista, com a sua guitarra eléctrica e um bom amplificador, a tocar o Avé Maria de Schubert junto à Sé Catedral de Lisboa?

Anúncios


{Setembro 28, 2007}   Mal-entendidos, bem entendido…

Tenho um outro blog que pretende ser sério e introspectivo. Nele tenho um anúncio publicitário que vai variando de tempos em tempos. Hoje fui vê-lo e reparei que o anúncio diz “Aumente os seus seios!”. Pus-me a pensar e… uma vez que a maior parte dos meus leitores nele são amigos meus, será que um destes dias vou ver as minhas amigas tipo Pamela Anderson e os meus amigos com mamas!?



{Setembro 28, 2007}   Fumarei até morrer do fumo!

Agora sim, temos um Governo que se preocupa com a saúde e bem-estar dos cidadãos! A lei Anti Tabagista está aí! A partir de agora os fumadores estarão sujeitos a multas até 1000 euros por fumarem em restaurantes, bares, discotecas e transportes públicos (acho que já se estão até a pensar em linhas de crédito especialmente concebidas para os indivíduos multados). Gostei especialmente da particularidade de até num ferry boat, ao ar livre, ser proibido fumar (exceptuando-se em viagens superiores a 1 hora). Isto sim é preocuparem-se connosco! Agora sim poderemos ir a uma discoteca sem receio de que a frequência das mesmas contribua para a nossa destruição – o ar ali será finalmente respirável! E isto até terá outras consequências que não nos saltam logo à vista: sem fumo de tabaco facilmente poderemos numa discoteca sentir o cheiro de quem se encontre estupidamente embriagado! E, sem perdermos tempo, atacamos logo essas pessoas se o que queremos é levar rapidamente alguém para a cama!
Agora sinto-me mais descansado, mais protegido! Não fossem os fumos dos escapes dos milhares de automóveis que invadem todas as vilas e cidades e poderia ser bandeira do Governo o facto de em Portugal ninguém morrer de cancro do pulmão! Vamos dar caça aos fumadores! O objectivo será que neste país apenas se morra de fome por não ganhar para comer, ou de frio por não ter onde dormir, e nunca de doenças respiratórias causadas pelo fumo, pois isso dá lá para fora muito mau aspecto!



{Setembro 28, 2007}   Nojento! Nojento!

Por vezes perco horas em êxtase em alguns sites de conversação que servem de pontos de encontro entre pessoas que se conhecem, outras que se querem conhecer, e outras ainda que não se sabe muito bem o que para ali andam a fazer, mas pronto… E essas são as que me despertam mais o interesse! Confesso!

É curioso ir a esses sites e ver os perfis das pessoas que por ali se movimentam, complementados, muito deles, com fotografias e informação exaustiva sobre os seus interesses e desejos na vida. É um excelente ponto de partida para entrar em contacto com os fantasmas mais íntimos de cada um, e onde questões podem ser formuladas. É claro que tudo aquilo não deve ser levado muito a sério, mas para fazer este exercício vamos fingir que sim! Vamos partir do princípio que toda a informação dada corresponde à realidade, e sigamos em frente.

Vi um perfil, curiosamente, de uma jovem do sexo feminino, de 25 anos de idade, casada, afirmando-se muito feliz, e com uma sucessão de fotos que, não sendo de cariz sexual, deixam adivinhar uma grande vontade de se mostrar e despertar o desejo a quem as vê! Percebem? Haveria ali uma tendência de um jovem casal para o swing? Pois bem, resolvi entrar em contacto com ela para lhe perguntar o que ela ali procurava! Casada, feliz, jovem e bonita e com umas fotos provocantes… aquilo despertou-me a atenção. Tocou o alarme, dá para perceber? Pois bem, adivinhem que resposta me deu (sim, ao menos respondeu)? Chamou-me uma “mente perversa, um tarado, que tinha pena de mim e que eu deveria procurar ajuda”… Neste último ponto dou-lhe razão! Preciso de ajuda para compreender isto… E sim, realmente o tarado sou eu!

Outros perfis que encontro com muita frequência são de raparigas entre os 18 e os 24/25 anos mostrando-se semi-nuas ou nuas (rosto ocultado) disponibilizando-se para conhecer apenas outras raparigas! Dizem querer “ninas” e apenas “ninas”. Algumas vão mais longe a ponto de dizer que os homens são nojentos! Meu Deus, não queria ser pai ou irmão de uma destas… Já viram? Eu dizia-lhe por exemplo “Ò Ana, onde puseste aquele meu livro que…”, e vinha logo de lá a resposta “És um nojento!”; ou então, “Filha, hoje o pai estava a pensar levar-te ao…”, e ela “Nojento! Nojento!”… Ou melhor ainda, com o avô a perguntar “Netinha, queres vir com o avô ao circo?”, e ela “Contigo? Nem penses! És duplamente nojento!”

Procurei pensar sobre isto, mas é demais! Confesso que me falha a paciência! Pois é, hoje em dia há assistentes sociais e juízes que condenam a bofetada higiénica… E depois dá nisto! Pessoas com falhas mentais tão graves que as levam a fazer e dizer coisas com as quais nem as próprias, se pensassem nisso, se identificam. Ter um mar de dúvidas e muito poucas certezas nem sequer é mau, pelo contrário. O problema está em, não estando certos das coisas, se começar a negar veementemente certos percursos e opções, ainda para mais de uma forma tão rude! Ora veja-se lá, andar para aí a chamar de nojento ao gajo que pagou o computador onde elas se mostram às “ninas”… Como se houvesse uma explicação lógica para a aplicação desse termo em concreto à generalidade do género masculino!

Isto deu-me vontade de poder dizer algumas coisinhas! Hoje em dia, sempre que por mim passam raparigas adolescentes na rua vem-me logo a imagem de garotas com olhar inflamado a olharem babadas umas para as outras e a dizerem “Ninas! Queremos ninas! Ninas é que são boas! Ninas é que sabem! Homens são nojentos!” Que imagem de débeis mentais! E nós que somos pais ou irmãos ou amigos delas é que temos de dar por nós a olhar para elas lado e a perguntarmo-nos se lhes metemos nojo e porquê…



{Setembro 28, 2007}   Intenção…

Pensei em escrever aqui qualquer coisita, mas como não me ocorre nada desisti.



{Setembro 28, 2007}   Desabafo blogueiro…

Os autores deste blog, entre os quais eu próprio, queixam-se com muita frequência que ninguém lhes dá o devido reconhecimento nem lhes arranja bons empregos! Mas fazendo uma auto-análise crítica e sincera isso não é de espantar! Com a quantidade e qualidade de parvoíces que aqui escrevemos como é que alguém nos há-de respeitar e dar emprego?

Vejam lá, caros leitores, que eu até andava a pensar em colocar aqui um post falando da minha recente experiência de flatulência no interior da Capela Sistina! Ainda bem que me decidi a não falar aqui de tamanha estupidez! Já basta a imagem que quem me conhece já tem de mim…



{Setembro 28, 2007}   Melhorias neste blog.

Sempre pensando na satisfação dos visitantes deste nosso espaço de crítica social, eleito como o melhor da Península Ibérica pela Associação de Apascentadores de Gado Caprino e Produtores de Produtos Derivados do Benin (AAGCPPDB) informamos que em breve, ao estilo da Fnac, poderão tomar um café e uma água enquanto lêem os nossos posts!
E se não acreditam em nós é porque também não acreditam que Mário Soares ainda se candidate de novo à Presidência da República!



{Setembro 28, 2007}   Anuncie aqui!

Estamos conscientes das dificuldades que certas empresas e associações encontram para anunciar os seus produtos e actividades, e pensando nelas decidimos ceder o nosso blog à exploração.

Por isso se é poluidor, traficante (de drogas ou armamento), terrorista, pedófilo, incendiário, membro de uma claque, militante do CDS ou um grande filho-da-puno geral saiba que este espaço pode ser seu! Anuncie aqui! Os proprietários deste blog não têm qualquer tipo de constrangimentos morais que impeçam a divulgação dos vossos produtos e/ou actividades. O que nós queremos mesmo é dinheiro, para nos deixarmos de vez destas tretas de andar para aqui a criticar tudo e todos e nos dedicarmos a viver vidas como as daqueles que tanto criticamos.



{Setembro 28, 2007}   É um circo…

Ontem à noite estava num bar e dei-me conta (claro) de entrar uma jovem com umas botas amarelas até ao joelho, uma mini-saia tamanho A4 preta, meias brancas, uma T-shirt branca e, por cima, um top justo da cor das botas – amarelo! Era uma jovem bonita, ainda por cima, e tudo isto junto fez com que poucos fossem os homens que ali se encontravam que não olharam para ela! Claro que lhe atirei com uns olhares de levavas-uma-ripada-que-depois-de-algumas-horas-não-conseguias-sequer-apanhar-cerejas, mas depois dei-me conta do seguinte: com esta tendência que as mulheres hoje em dia aparentam ter de se produzirem imenso quando saem à noite (nem que seja só para ir comprar tabaco), mudando por vezes radicalmente em relação ao que são durante o dia, corremos o risco de conhecer uma mulher, combinar levá-la a jantar fora, irmos buscá-la a casa e de repente, abrindo-se a porta do prédio, sair de lá um palhaço! Que fazer nesta eventualidade? É isso que me perturba! Dizemos alguma coisa ou calamos a boca? Saímos com ela ou inventamos uma desculpa para saltar fora? Perguntamos, em tom de brincadeira (a ver se cola) “em vez de ir jantar fora preferes ir ao circo?” Não sei, e isso deixou-me preocupado! A sério! Pelo sim pelo não acho que vou começar a trazer sempre comigo uma carapinha verde postiça e um nariz vermelho! Ao menos assim não passo vergonhas…



A PSP tem vindo à comunicação social queixar-se da falta de condições das suas instalações: que chove, que os tacos do chão estão soltos, que as vidraças estão partidas… No sítio onde eu trabalho, na casa de banho dos homens sempre esteve um papel na parede a dizer “Deixe como gostaria de encontrar”. É uma casa de banho pequenina, que na área de esforço propriamente dita tinha uma sanita e um bidé. Pois bem, esta semana entrei lá e alguém tinha arrancado o bidé! E eu associei o facto ao cartaz que lá está na parede e pensei: será que é uma forma de protesto? Será que estamos a ficar sem espaço, e as instalações precárias? Bem… não sei porque escrevi isto aqui, mas apeteceu-me! E o blog também é meu e por isso posso cá escrever o que entender.



et cetera