Análises Cínicas











{Abril 17, 2008}   Uma solução possível para o problema angolano

Angola, de repente, tornou-se um objectivo apetecível para governos e empresas de todo o mundo. Existe todo um país a reconstruir receptivo à entrada das mais variadas empresas, o que os empresários seguramente agradecem. No entanto, se não tivesse outros, Angola teria pelo menos dois grandes problemas a resolver: minas terrestres e estropiados de guerra.
Em relação às minas terrestres pouco vale a pena dizer. Todos compreendem a gravidade de elas lá estarem e as dificuldades que isso traz a um país em processo de reconstrução. Em relação aos estropiados de guerra, vítimas dessas minas ou vitimados por uma outra circunstância qualquer, são um problema para o Governo angolano, mais que não seja pelo que cada um desses indivíduos, incapacitados na maioria dos casos para o trabalho, custa por ano ao Estado.
Pois bem, tenho cá uma ideia: organizem-se excursões! Sim, excursões! Estou certo que esses estropiados, que têm vivido existências precárias e difíceis, agradeceriam que o Governo se lembrasse deles patrocinando-lhes excursões por esse imenso e belo país que é Angola. E, como quem não quer a coisa mas quer, levem esses milhares de estropiados a piqueniques no campo… Imaginem, milhares de pessoas em alegria passeando pelos matos e picadas, felizes da vida, desminando terrenos à sua passagem e deixando de ser um fardo para esse grande país que tanto se tem batido pelos direitos humanos. Resolviam-se, talvez, dois problemas de uma só vez…

Anúncios


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

et cetera
%d bloggers like this: